Sobre o projeto

As cidades do século XXI estão a expandir-se e a desenvolver-se exponencialmente, com mais de metade da população mundial a viver em áreas urbanas, atualmente. No entanto, apesar desse crescimento, muitas cidades não propiciam, necessariamente, uma boa qualidade de vida para as pessoas que nelas vivem. Alguns indicadores estão associados a esta problemática, a saber:

  • Isolamento social - pessoas mais velhas e mais jovens
  • Dependência excessiva de carros e investimento insuficiente em meios de transporte mais ecológicos
  • Má qualidade do ar
  • Habitação insuficiente e de baixa qualidade
  • Bairros mal concebidos
  • Falta de espaços verdes, parques e lazer
  • Desigualdades na saúde pública

Um elemento-chave que está subjacente a estes indicadores negativos da vida urbana é o facto de os cidadãos estarem desligados dos processos cívicos que orientam o desenvolvimento das áreas em que vivem. Há uma necessidade urgente que as autoridades municipais e dos órgãos locais tenham em consideração o envolvimento dos cidadãos no planeamento a longo prazo da vida urbana e na conceção e desenvolvimento de projetos a curto prazo, como a criação de um novo espaço residencial, de uma biblioteca, de um parque, etc. Há também um desequilíbrio entre os fatores impulsionadores de mudança económica, social e ambiental a nível local.

Este projeto dedica-se a tentar perceber, de forma colaborativa, em cinco países europeus, cada um com as suas próprias tradições e contextos de desenvolvimento urbano, como é que estão a emergir boas práticas para capacitar os cidadãos para o seu envolvimento no desenvolvimento urbano, tanto a nível micro (dentro de um contexto de bairro) como a nível macro (ex: modalidades de transporte, políticas industriais e de planeamento). Mais concretamente, o projeto dedica-se a encontrar exemplos de iniciativas para a criação de um maior equilíbrio entre as dimensões económicas, sociais e ambientais para a mudança, colocando, simultaneamente, ênfase nas necessidades das gerações futuras e projetando espacos para e com as pessoas.

Finalmente, o projeto ambiciona dar uma série de possíveis sugestões de como é que os líderes comunitários podem ajudar a reduzir o distanciamento entre as instituições de desenvolvimento urbano e os cidadãos para construir cidades mais sustentáveis e centradas nos seus habitantes.

Este projeto pretende deslindar como é que os cidadãos podem se tornar mais ativos na definição do design da forma urbana - meios de transporte, locais de trabalho, retalho e bairros residenciais.

Active Citizens Reimagining the Community’ (2020-1-UK01-KA204-079002) has been funded with support from the Erasmus+ programme.